sábado, 30 de outubro de 2010

ORIXÁS DA UMBANDA - IANSÃ

Antes de iniciar esse post, quero ressaltar que as singelas explicações abaixo referem-se aos Orixás na Umbanda. Sabemos que os irmãos do Candomblé, do Batuque e outras religiões de matriz africana, possuem outros conceitos, explicações, utilizam-se da mitologia, entre outros elementos, para explicar e trabalhar com os Orixás. Nesse blog, respeitando todas as opiniões diversas, serão passados apenas conceitos da Umbanda, no intuito de esclarecer os filhos de fé, acerca de seus pais e mãe de cabeça!

Obrigado!


5° ORIXÁ - IANSÃ - A SENHORA DAS TEMPESTADES!



A 5ª Orixá a ser comentada nessa pequena série de estudos sobre os Orixás que integram a Religião de Umbanda é Iansã. 

Iansã é Orixá Guerreira, senhora das almas, dos ventos, das tempestades, dos raios e relâmpagos.

Em razão do sincretismo religioso, a imagem de Iansã está fortemente associada à imagem de Santa Bárbara, a Santa nascida no Século III e tida como protetora contra os relâmpagos e tempestades.  

Iansã é um Orixá que teve seu culto nascido na Nigéria, mais especificamente nas margens do Rio Niger. Curiosidade é que  nome "Iansã" é um título que Oyá recebeu de Xangô. Esse título faz referência ao entardecer, Iansã = "A mãe do céu rosado" ou "A mãe do entardecer". Assim, falar em Oyá ou Iansã é falar do mesmo Orixá.
O culto à Iansã chegou ao Brasil juntamente com os negros escravos. Certamente pela semelhança na regência das tempestades e relâmpagos, além de empunhar uma espada na mão, Iansã passou a ser sincretizada com Santa Bárbara.

Iansã também é tida como a senhora dos Eguns (mortos). Por isso, assim como saudamos Obaluaê no campo santo, também devemos saudar Iansã.

Por ser uma Orixá Guerreira, seu símbolo é o raio e a Espada. (Apenas por título de curiosidade, no candomblé, além da espada o símbolo de Iansã é o Irukerê, uma espécie de chicote feito com cauda de búfalo, o qual tem por finalidade conduzir os Eguns).

A cor de Iansã usada na Umbanda é o Amarelo.  (No candomblé e em alguns tipos de umbanda "traçada" (que misturam candomblé com umbanda) usam-se as cores vermelha, marron e rosa).

As oferendas para Iansã levam velas e flores amarelas, espadas de Iansã (igual as espadas de São Jorge, mas com as bordas amarelas), bebidas doces, frutas (em especial o melão) e  acarajé. São entregues, preferencialmente em bambuzais e pedreiras.

Seu dia da semana é a Quarta-Feira, dia que divide com o Orixá Xangô.

Seu dia do ano é o 04 de dezembro.   

Sua saudação é "Epa hei ou Eparrei Iansã/Oyá!"


Da linha de Iansã manifestam-se falangeiros, caboclos, caboclas e até Exus. São espíritos que estão ligados aos ventos, tempestades, raios e batalhas.


PONTOS DE IANSÃ


Segue abaixo alguns pontos que tratam especificamente do Orixá Iansã.
Neles é possível perceber a relação entre as tempestades e raios com a imagem de uma mulher guerreira.


Ponto 01


No amanhecer é
que esta estrela brilha!
No amanhecer é
que ela se ilumina!


Iansã Senhora,do amanhecer!
Sua espada brilha, pra nos proteger!


Iansã Senhora, do amanhecer!

Sua espada brilha, pra nos proteger!

É Oyá!
Iansã quem nos conduz!
É Oyá!

Iansã com sua luz!


Ao rodopiar faz o vento, e a chuva traz!
Pra lavar a Terra, semear a paz!

Ao rodopiar faz o vento, e a chuva traz!
Pra lavar a Terra, semear a paz!

É Oyá!
Iansã quem nos conduz!
É Oyá!
Iansã com sua luz!

É Santa Guerreira, se preciso for!
Pra acabar com a guerra, espantar a dor!
É Santa Guerreira, se preciso for!
Pra acabar com a guerra, espantar a dor!

É Oyá!
Iansã quem nos conduz!
É Oyá!
Iansã com sua luz!

PONTO 02

Minha mãe Iansã
dos cabelos louros(longos)
no mar tem água, nas suas pedras tem ouro!

Minha mãe Iansã
dos cabelos louros(longos)
no mar tem água, nas suas pedras tem ouro! 

Êêêê,
Êêêá,
Saravá Iansã! e a rainha do mar!

Êêêê,
Êêêá,
Saravá Iansã! e a rainha do mar!

PONTO 03

Iansã, tem um leque de pena,
pra abanar, dias de calor!

Iansã, tem um leque de pena,
pra abanar, dias de calor!

Iansã, mora na pedreira,
Eu quero ver, meu Pai Xangô!

Iansã, mora na pedreira,
Eu quero ver, meu Pai Xangô!

PONTO 04

Iansã, Orixá de Umbanda,
Rainha do nosso gongá!

Iansã, Orixá de Umbanda,
Rainha do nosso gongá!





Saravá Iansã lá na Aruanda!
Eparrei, parrei,
Iansã venceu demanda!

Iansã, saravou Pai Xangô!
No céu um trovão roncou!

E lá na mata o Leão bradou!
Saravá Iansã, Saravá Xangô!

PONTO 05

Iansã!
Iansã!
Segura seu ererê Iansã!
Segura seu ererê Iansã!

Ó Iansã!
Ó Iansã!

Segura seu ererê!

PONTO 06

A Lua surgiu lá no céu!
E assim, vem chegando o Luar!
Que brilha nas matas de Oxossi!
E vai pelas ondas do mar!
Também ilumina pedreira!
Morada do Meu Pai Xangô!
Sinal que não há tempestades!
Pois mãe Iansã não deixou!

Noite linda!
Noite de Luar!
Que vem lá do céu!
Para Terra iluminar!

Tempestade,
Não vai mais chegar!
Força de Iansã!
Cobre a terra e cobre o mar! 

Noite linda!
Noite de Luar!
Que vem lá do céu!
Para Terra iluminar!

Tempestade,
Não vai mais chegar!
Força de Iansã!
Cobre a terra e cobre o mar! 

PONTO 07

Iansã subiu a serra acompanhada de Xangô!
Por onde eles passaram,
correu água e nasceu flor!

Iansã subiu a serra acompanhada de Xangô!
Por onde eles passaram,
correu água e nasceu flor!

PONTO 08

Eram duas ventarolas,
duas ventarolas, navegando no mar!

Eram duas ventarolas,
duas ventarolas, navegando no mar!

Uma era Iansã, Eparrei!
A outra era Iemanjá, Odoyá!

Uma era Iansã, Eparrei!
A outra era Iemanjá, Odoyá!

PONTO 09

Oyá, cabocla da aldeia,
Oyá, cabocla da aldeia,
Ela vem chegando, 
quando a Lua é cheia!

Ela vem chegando, 
quando a Lua é cheia!

Quando Oyá me chamou,
Eu fui atender,
Estava assentada Iansã,
no pé de dendê!

Ela dona do mundo,
Ela é dona do mundo,
Iansã venceu guerra,
Ela dona do mundo!

Ela dona do mundo,
Ela é dona do mundo,
Iansã venceu guerra,
Ela dona do mundo!

PONTO 10


Oyá. Olha ê Oyá,
Eparrei, Eparrei Iansã!

Oyá. Olha ê Oyá,
Eparrei, Eparrei Iansã!

Viaja na ponta do vento,
no corisco do trovão!
Senhora da tempestade, me dê sua proteção!

Oyá. Olha ê Oyá,
Eparrei, Eparrei Iansã!















sábado, 9 de outubro de 2010

ORIXÁS DA UMBANDA - XANGÔ

Antes de iniciar esse post, quero ressaltar que as singelas explicações abaixo referem-se aos Orixás na Umbanda. Sabemos que os irmãos do Candomblé, do Batuque e outras religiões de matriz africana, possuem outros conceitos, explicações, utilizam-se da mitologia, entre outros elementos, para explicar e trabalhar com os Orixás. Nesse blog, respeitando todas as opiniões diversas, serão passados apenas conceitos da Umbanda, no intuito de esclarecer os filhos de fé, acerca de seus pais e mãe de cabeça!

Obrigado!

4° ORIXÁ - XANGÔ - O ORIXÁ DA JUSTIÇA


O quarto Orixá a ser comentado nessa pequena série de estudos sobre os Orixás na Umbanda é Xangô.

Xangô é o Rei da Justiça, do Fogo, do Trovão, da Inteligência e das Pedreiras.

É sincretizado com diversos santos, como por exemplo Santo Expedito, São Pedro, São João Batista, entre outros. Mas o sincretismo que melhor representa Xangô é  o feito com São Jerônimo.

O Santo na pedreira, com um livro nas mãos e um leão ao lado simboliza a sabedoria e a força, exatamente o que representa Xangô.  


Cumpridor da Lei Divina, Xangô é um Orixá Justiceiro. Jamais deixa um filho seu ser injustiçado e perseguido. Entretanto, se o filho de Xangô comete injustiças, será ele mais severamente castigado.   

Como todos nós estamos sujeitos a erros e equívocos na vida, temos que pedir o perdão de Xangô e se redimir dos atos cometidos, pois sua justiça é infalível.

Os símbolos de Xangô são o machado, o leão e a pedra, elementos que  demonstram sua força.


O culto a Xangô teve origem na região Oyo, onde hoje é a Nigéria. É conhecido como rei do povo Yorubá. Seu culto chegou ao Brasil e a outros países da América Latina através dos negros escravos. 

A cor de Xangô é o Marrom. (No candomblé é o vermelho e branco).

Seu dia da semana é a Quarta-Feira.

Seu dia do ano depende do santo com o qual foi sincretizado. 

Sua saudação é "Kaô Kabecile"

As oferendas para Xangô levam frutas, quiabo,
velas marrons e/ou brancas, cerveja preta e charuto.

São entregues, preferencialmente nas pedreiras e/ou cachoeiras.  

Da Linha de Xangô originam inúmeras falanges de Caboclos, Pretos velhos e Exus.  

Cabe lembrar por fim, que na Umbanda não se incorpora O ORIXÁ, mas sim seus falangeiros e caboclos.  

PONTOS DE XANGÔ

Segue abaixo alguns dos pontos cantados para Xangô. São pontos que demonstram a sabedoria, a força e a justiça desse Orixá.

PONTO 01

"Meu Pai Xangô deixa essa pedreira aí,
Meu Pai Xangô deixa essa pedreira aí,

A Umbanda está lhe chamando,
deixa essa pedreira aí!

A Umbanda está lhe chamando,
deixa essa pedreira aí!"

PONTO 02

"Xangô é um corisco,
Que nasceu da trovoada!
Xangô é um corisco,
Que nasceu da trovoada!

Ele mora na pedreira,
levanta de madrugada!

Ele mora na pedreira,
levanta de madrugada!

Longe, bem longe aonde o sol raiou,
Longe, bem longe aonde o sol raiou,

Saravá Umbanda, ô Saravá Xangô!
Saravá Umbanda, ô Saravá Xangô!

PONTO 03

"Escureceu, a noite chegou!
Escureceu, a noite chegou!

Firma ponto na pedreira,
Saravá Xangô!

Firma ponto na pedreira,
Saravá Xangô!

Saravá Xangô, ô Saravá Xangô!
Saravá Xangô, ô Saravá Xangô!"

PONTO 04
 
"No alto daquela pedreira,
Tem um livro que é de Xangô!

No alto daquela pedreira,
Tem um livro que é de Xangô!

Kaô, Kaô, Kaô Kabecile!
Kaô, Kaô, Kaô Kabecile!"

PONTO 05

"Xangô é Rei,
É Rei Nagô!
Xangô é Rei,
É Rei Nagô!

Ô bate palma pra coroa de Xangô
Ô bate palma pra coroa de Xangô
Ô bate palma pra coroa de Xangô
Ô bate palma pra coroa de Xangô"

PONTO 06

"Fui buscar um lírio branco,
Na pedreira de Xangô
Trouxe também outras flores,
que meu Pai abençoou,

Quem gostar de lindas flores,
E ainda não achou,
Vai buscá-las com carinho,
Na linda primavera de meu Pai Xangô!

Vai buscá-las com carinho,
Na linda primavera de meu Pai Xangô!"  

PONTO 07

"Xangô na Umbanda é Juiz!
A lei de Xangô é sagrada!
Filho de Xangô é feliz!
Tem sempre defesa firmada!

Filho de Xangô é feliz!
Tem sempre defesa firmada!

Xangô a sua Justiça,
É pura e é verdadeira!

Sem ódio e sem cobiça,
Leva todo mal pra pedreira!

Sem ódio e sem cobiça,
Leva todo mal pra pedreira!

Xangô tem nos ombros o peso,
da sua pedreira sagrada!
Xangô tem nos ombros o peso,
da sua pedreira sagrada! 

Xangô nós te pedimos,
que nos dê seu perdão!

Xangô nós te pedimos,
não deixa seus filhos em vão!

Xangô nós te pedimos,
não deixa seus filhos em vão!"

PONTO 08

"Pedra rolou Pai Xangô,
Lá na pedreira!
Segura pedra meu Pai,
Na cachoeira!

Pedra rolou Pai Xangô,
Lá na pedreira!
Segura pedra meu Pai,
Na cachoeira!

Tenho meu corpo fechado,
Xangô é meu protetor,

Tenho meu corpo fechado,
Xangô é meu protetor

Afirma ponto meu filho,
Pai de cabeça chegou!"

PONTO 09

Ô Gino olha a sua banda,
Ô Gino olha o seu gongá!

Ô Gino olha a sua banda,
Ô Gino olha o seu gongá!

Aonde o rouxinol cantava,
Aonde Xangô morava,

Aonde o rouxinol cantava,
Aonde Xangô morava,

Ele Gino da cobra coral
Ele Gino da cobra coral
Ele Gino da cobra coral
Kaô!."

PONTO 10

"Xangô, Xangô, Xangô, 
Xangô  Kaô meu Pai!

Foi o Senhor quem falou
Filho de Xangô não cai."

PONTO 11

"Lê lelê  o kaô
Lê lelê  o kaô

Lê lelê é de vangolé
Lê Lelê kaô"

PONTO12
"Dizem que Xangô mora na pedreira,
Mas não é lá sua morada verdadeira!

Dizem que Xangô mora na pedreira,
Mas não é lá sua morada verdadeira!

Xangô mora numa cidade de Luz,
onde mora Santa Bárbara, Oxumarê e Jesus!

Xangô mora numa cidade de Luz,
onde mora Santa Bárbara, Oxumarê e Jesus!"

PONTO 13

"Xangô morava nas pedreiras,
Viveu escrevendo em uma pedra,
Ele escreveu a Justiça.
Quem deve paga, quem merece recebe!

Ele escreveu a Justiça.
Quem deve paga, quem merece recebe!"

PONTO 14

"Meu pai São João Batista, ele é Xangô!
Ele é o dono do meu destino até o fim!

Meu pai São João Batista, ele é Xangô!
Ele é o dono do meu destino até o fim!

O dia que me faltar a fé no meu Senhor
Que role essa pedreira sobre mim!

O dia que me faltar a fé no meu Senhor
Que role essa pedreira sobre mim!"

PONTO 15 

"Pedra rola da pedreira,
Em cima de quem errou,
Justiça quem faz e ele,
Porque ele é Xangô!

Pedra rola da pedreira,
Em cima de quem errou,
Justiça quem faz e ele,
Porque ele é Xangô!

Com seu leão do lado,
Com seu machado na mão,
ele corta mironga,
pra seus filhos, da proteção

Justiça maior é do meu Pai Xangô!
Justiça verdadeira!

O seu brado é tão alto,
que escoa na pedreira!
Pedra rola da pedreira,
Em cima de quem errou,
Justiça quem faz e ele,
Porque ele é Xangô!

Pedra rola da pedreira
Encima de quem errou
Justiça quem faz e ele
Porque ele é Xangô!

Com seu leão do lado,
Com seu machado na mão,
ele corta mironga,
pra seus filhos, da proteção

Justiça maior é do meu Pai Xangô!
Justiça verdadeira!
O seu brado é tão alto,
que escoa na pedreira!

Pedra rola da pedreira
Encima de quem errou
Justiça quem faz e ele
Porque ele é Xangô!"




T.U. Filhos da Vovó Rita

T.U. Filhos da Vovó Rita